Globo.com: Juciely se surpreende com prêmio de ‘paredão’ da temporada

Como boa mineira, Juciely chegou de mansinho. Trocou o São Caetano pelo Rio de Janeiro e queria fazer um bom papel no meio de rede da equipe. Lugar que por tantos anos foi ocupado por Fabiana, a central da seleção brasileira que se mudou para Araçatuba e defendeu o Vôlei Futuro nesta temporada. Cumpriu tão bem sua função que foi terminou a Superliga com o prêmio de melhor bloqueadora, para sua surpresa.

– Não esperava por isso! Quando anunciaram, eu fiquei ali, parada. Ainda mais porque eu não sou tão alta (tem 1,84m), mas compenso isso saltando mais e com velocidade. A minha sensação é de dever cumprido. De ter chegado e ter conquistado o lugar de titular numa equipe que tinha Fabiana. De ter chegado à final e ter sido campeã – comemorava.

Discreta, Juciely foge do rótulo de substituta. Deixa claro que não herdou nada, que teve de trabalhar muito para que Bernardinho optasse por promovê-la a titular. A única delas que nunca vestiu a camisa da seleção.

– Eu sabia que podia tirar muito de Bernardinho e trabalhei por esse lugar. Fiquei muito feliz de ser titular, de ganhar esse título como titular – disse a jogadora, que já tinha outro no currículo com o Minas (2001/2002), mas como reserva.

Para a outra central da equipe, a conquista também foi especial. Aos 35 anos, Valeskinha foi repatriada depois de atuar na Turquia. Chegou ao jogo contra o Osasco com status de recordista. Foi a sua 11ª final na história da competição, marcada pelo seu sexto título.

– As duas derrotas que tivemos serviram de alerta. Nos unimos muito e isso é o legal desse grupo. Todas se ajudam. Mostramos isso do início ao fim. Não é porque sou capitã, mas nessa equipe cada uma dá seu palpite. Sei que posso confiar nelas de olhos fechados – elogia.

Fonte: Globo.com

Foto: Divulgação/CBV

TWITTER



Redes Sociais